Brasil vai sediar fórum global de resíduos sólidos da ONU em 2014

O Brasil foi escolhido para sediar a edição 2014 do Fórum Global IPLA sobre Gestão de Resíduos Sólidos, promovido anualmente pela Parceria Internacional para Expansão de Serviços de Gestão de Resíduos para Autoridades Locais (IPLA), um programa mantido pela Comissão das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Regional (UNCRD).

O Fórum deste ano foi realizado entre os dias 9 e 11 de setembro na cidade de Boras, na Suécia. Lá o Brasil foi representado por Silvano Silvério da Costa presidente da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana de São Paulo (AMLURB) e Carlos Silva Filho, diretor executivo da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (ABRELPE), que atua como secretaria sub-regional do IPLA no sul da América Latina.

“Um dos motivos que levou a IPLA a eleger o Brasil como sede do próximo Fórum é o fato de que o País também vai sediar no ano que vem o Congresso Mundial da ISWA, um dos mais importantes eventos de resíduos sólidos do mundo. Outro fator que influenciou na decisão foi a nossa Política Nacional de Resíduos Sólidos que, na visão da ONU, é uma legislação bastante moderna e ambiciosa para avançarmos rumo a uma gestão sustentável de resíduos, servindo de exemplo para o restante da América Latina e para outros países em desenvolvimento”, declara o diretor executivo da ABRELPE.

As discussões do Fórum Global da IPLA resultam em um documento aprovado pelos membros da entidade que define metas a serem cumpridas por eles. “O teor da resolução final deste ano foi no sentido de que somente através de parcerias vamos conseguir alcançar uma melhor gestão de resíduos. Por isso, é fundamental o comprometimento das partes envolvidas no encaminhamento dos projetos de Parceria Público-Privadas para disponibilizar soluções perenes e duradouras”, explica Silva Filho.

No Fórum havia representantes de São Paulo e Curitiba do Brasil. Entre os casos de sucesso apresentados, destaque para o de Boras, que sediou o evento. Segundo dados da autoridade de limpeza urbana local, apenas 4% dos resíduos são encaminhados para aterros sanitários, que também geram o gás metano empregado como combustível para abastecer a frota de ônibus, táxis e caminhões de coleta de resíduos.

Sobre a IPLA 

A IPLA defende que a sociedade de circulação de recursos é o modelo do futuro, no qual a geração de resíduos será minimizada, a reciclagem será maximizada e o meio ambiente, protegido. Considerando que a gestão de resíduos e a circulação de recursos estão diretamente ligadas à implementação de políticas governamentais, o papel dos membros da IPLA é atuar juntos aos diversos atores para estabelecer parcerias para apoio e fortalecimento das autoridades locais, que permitam o desenvolvimento das comunidades latino-americanas.

Fonte: Portal do Meio Ambiente

Deixe uma resposta

Fechar Menu